sexta-feira, 15 de maio de 2009

O caso da voz

Não tinha como evitar.Toda vez que aquela voz chegava aos seus ouvidos, um arrepio quente descia pela sua espinha,como uma grande gota de agua quente que molhava sua calcinha.
E não havia como escapar.
O Inferno da sua vida começou quando ela cochilava em uma reunião, não conseguia mais distinguir as palavras, devido á sonolência que lhe trazia aquela chatice.Tentando manter-se acordada,deixou aquela voz penetrar-lhe os ouvidos, lenta, macia, insidiosa, e o sono modificou o conteudo da fala, e ela deslizou para dentro de um sonho, onde gozava violentamente, com aquela voz ao seu ouvido.Acordou de um pulo, gerando risos e um olhar estranho do colega que falava, o maldito dono da voz.
Agora, todos os dias perdia preciosos momentos de trabalho tentando se concentrar,desfazer o calor que lhe consumia por dentro, cada vez que o maldito lhe dirigia a palavra.
Difícil era esconder o rubor.Difícil era descobrir de onde essa loucura havia vindo,
e o que fazer para se salvar do inferno que seus desejos criaram.
Nunca mais gozou depois daquele dia.
O pobre marido se esforçava, não compreendia o que estava acontecendo,mas relevava, pensando que era alguma coisa a ver com o trabalho.
E o pior, era mesmo, mas ela não confessaria nunca.Aquele maldito não tinha nada de atraente aos seus olhos, nada.
Homem feio de meia idade, com aquela barriga de chopp caindo por cima das calças.
Foi então que um dia, os dois ficaram depois do expediente, para que ele , lhe explicasse sobre o novo projeto,de sua criação, de camisinhas com anel vibratório, descartáveis.
Mas ela esqueceu de avisar ao marido , que foi busca-la no trabalho naquele dia.
Ao entrar no escritório, reconheceu imediatamente o que queria dizer aquela cara vermelha, aquele respirar rápido.
Foi convidado á sentar-se e ouvir o plano de implantação do novo produto, ao que aceitou prontamente, tomando assento , para desespero dela.
Assim aconteceu .Foi tudo tão rápido,ela nem entendeu quando seu marido se ofereceu para testar o produto alí, na sala de reunião.Quando percebeu, estava sendo agarrada pelo marido, que convidou o maldito á ajudar.
Em meio ao choque,decidiu deixar, sei lá, ela já não sabia o que estava fazendo mesmo, há tempos.
No final, depois do sucesso que foi o novo produto,ela descobriu o segredo do maldito.
O que a fez gozar não foi apenas a o produto, ou a voz, mas a barriga de chopp.
No outro dia, tudo voltou ao normal.
O marido,muito mais apaixonado, e equipado.
O colega, por vergonha do ocorrido, nunca mais falou com ela direito.
E a barriga vivia tapada, então, daquele dia em diante,ela voltou a trabalhar sossegada...

4 comentários:

pimenta na boca disse...

Eu adoro seu blog! E esse post então uffa!Marido bom hein? Deu até vontade de ver o tamanho dessa barriga de chopp do maldito..huahua.

pimenta na boca disse...

Me abençoe por favor!!

E que vc seja abençoadaaaa..que blog!

Adoro!

Visitas matutinas, vespertinas e noturnas p adoçar minha vida!

William Wollinger Brenuvida disse...

Bem diferente esse texto, eu diria (risos), mas ele entrete. Faz rir da situação "diferenciada" (risos)

Agardeço por ter visitado meu blog. Vá mais vezes e fique a vontade para postar comentários...

Saudações Fraternas,
William

pimenta disse...

Ardida,te digo ,barriga tem seu valor, viu.

E pode deixar Wiliam,já estou visitando!Adoro aquele seu lugar, adoro as histórias de lá, gostaria de navegar naquelas águas mais uma vez.
Se eu vender minha casa em Floripa, compro uma tapera por lá!
bjos

Arquivo do blog

NeoCounter