quarta-feira, 13 de maio de 2009

Amor não traumatiza, sabia?

Matheus e Thiago, ano 2000,fazendo cara de salame pra mim.

Dia 14 meu filho do meio,o Tito faz 12 anos.
É meio estranho esse guri grande andando pela casa,ficando cada vez maior.
E depois do primeiro ano de vida, de dificuldade extrema,tudo ficou fácil,pessoa fácil, agradável e amorosa.
Até quando não sei,pois o que ele mostrará ou esconderá do que trouxe da infância é decisão dele, não minha.
Digo que amor não traumatiza,pois passei um ano sem poder dormir várias horas consecutivas.
Meu filho nasceu com um olho diferente do outro,em globo e nervo óptico.
Durante esse ano,em que ele tinha a visão dos dois olhos, tudo que se movia deixava um rastro,como efeito sequenciado de vídeo, sabe qual é?Você vê o braço movendo e vários braços seguem o mesmo movimento, entende? Imagine então um recém chegado no mundão vendo as coisas assim.
Ele dormia períodos de 40 minutos em média,despertando após esse período chorando muito e procurando por mim.Foi como uma gestação fora do corpo,pois ele não se sentia seguro com mais ninguem além de mim ,e Yolanda, a quem serei sempre grata, pois sozinha nunca teria conseguido suportar a privação de sono que vivi.Passei um ano com um moleque agarrado na minha cintura, com a mãozinha enrolada na minha roupa, para que eu não o deixasse nem um segundo.
Nesse ano, eu perdi minha memória, parecia meio louca,pois se eu me distraísse um segundo, não lembrava do que estava falando ou fazendo, e ficava com aquela cara de pastel perdido e sem recheio.
Foi quando um dia, ele me deixou e saiu andando.Dormiu uma noite interia.Foi no colo de outras pessoas, alguma coisa havia acontecido,e eu corri ao médico e descobri que ele havia ficado cego do olho esquerdo.
O cérebro dele decidiu que assim não dava, e em nome do desenvolvimento, parou de aceitar as imagens que entravam por aquele olho, que tinha o nervo maior, atrasando a imagem em milésimos de segundo.
E ele me curou do cansaço com aquele sorriso lindo,com carinho infindo e aquela alegria contagiante.Renasceu.
Menino abençoado que nasceu duas vezes.A primeira no medo,e a segunda no amor.
Que Deus te proteja e conserve, meu filho.
Te amarei por muitas e muitas vidas.
Esse foi só o começo da história, que eu espero que seja muito longa e feliz.
Depois disso,esqueci as dificuldades e tive mais uma filha, um dia conto a assombrosa história dessa menina.

4 comentários:

escorpião disse...

Mãe? Que curioso... Acho que não sei de nada ainda para passar para um filho. Mas entendo.

E

pimenta disse...

É,eu sou uma mãe esquisita ,e meus filhos são pessoas com capacidade de compreensão acima da média da idade.São gente,antes de serem filhos.
e o mais desafiante,sabe o que é?
Se vc não os obriga a serem o que vc quer e espera deles, vc descobre que já nascem com as suas principais caracteristicas de personalidade.
Se vc tiver paciência e respeito por essas pessoas,vc descobre quais caracteristicas merecem ser ampliadas e quais eles devem exercer maior controle, e ajudá-los nisso.Coisas de gente que reproduz.
d"um trabalho do cacete,mas quando eles crescem,é uma delícia incrível!

Uscia disse...

Guria!
Que coisa...
Não sabia disso!
Ele realmente é um amor de menino! Me encantei com ele nas poucas x em que estivemos juntos!
Deus abençoe vcs!

Désir La Vie disse...

Linda sua história...

Parabéns pela força, persistência, saúde, serenidade, confiança, etc, etc, etc.
Coragem não lhe falta, e muita!

Parabéns à toda família!

Arquivo do blog

NeoCounter